Pais sem carro

Somos pais e não temos carro. Felizmente, moramos no centro da cidade e é fácil chegar a qualquer lado a pé. Pegamos na bebé, no carrinho de passeio e lá vamos nós. Normalmente, são passeios curtos e apenas levamos connosco o essencial: uma malinha com toalhitas, 2 ou 3 fraldas, compressas, uma fralda de pano, água, um iogurte e um brinquedo. Mas, se por um lado pode ser positivo não ter carro e desfrutar dos passeios a pé e ao ar livre pela cidade, no jardim ou à beira mar, por outro lado ter um bebé  e não  ter carro pode tornar-se um pesadelo, porque:

Primeiro: não sei se já se depararam com a mesma situação, mas o estado de degradação da via pública, passeios com buracos e carros mal estacionados ou estacionados em cima dos passeios, tornam uma simples volta pela baixa da cidade numa autêntica prova de gincana. É preciso contornar obstáculos, são curvas e contra-curvas desde que saímos de casa até chegar onde queremos. É impressionante como a via pública não está preparada para a circulação de outros veículos. Isso faz-me pensar na falta de sensibilização que existe no seio das entidades reguladoras para criar condições favoráveis à  circulação de carrinhos de bebé, cadeiras de rodas ou bicicletas dentro das cidades. Já assisti a pessoas em cadeira de rodas circularem à beira da estrada, onde passam carros, pondo em risco a sua vida, porque não existem passeios, rampas ou infra-estruturas favoráveis à sua circulação;

Segundo: fazer as compras da semana ou do mês torna-se uma tarefa impossível para quem tem um bebé. Felizmente, o avô  da Alice tem carro e todos os domingos o L. vai às  compras com o avô e traz tudo o que é  preciso para a semana;

Terceiro: viajar. fazer percursos mais longos torna-se complicado. É óbvio que podemos viajar de transportes, de comboio, de autocarro ou mesmo de avião para outros destinos, mas imagino toda a logística que é preciso para levar connosco tudo o que a Alice precisa para o dia a dia. Costumamos passar férias no Algarve, mas no ano passado optámos por não fazê-lo porque a Alice ainda era muito pequena. Este ano, vamos ter que arranjar soluções  de deslocação, se até  lá, nenhum de nós tirar a carta (já estamos a tratar disso).

Anúncios

3 thoughts on “Pais sem carro

  1. Nós também não temos carro. Vivemos numa cidade cuja rede de transportes é ótima mas que tem muitas falhas em termos de acessibilidade. Já viajamos de comboio e até avião más ha certos passeios que, por exemplo, a um fim de semana, dispensamos por ser um percurso demasiado complicado.

    Liked by 1 person

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s